sábado, 16 de outubro de 2010

Destino

Destino
(texto que estava no meu outro blog (março/2010) , estou jntando-os aqui)


Meus últimos dias e últimas ações me fizeram pensar muito sobre escolhas, e dentro das reflexões me surgiu o tal destino. Aquela coisa sonhadora, de que se Deus quiser, terei sucesso, se a vida reservar a mim, terei um amor pra vida toda…
Ah, eu já esperei tanto por ele! Mas estou prestes a fazer 30 anos. Uma balzaquiana não pode se dar ao luxo de esperar pelo tal destino.
Olhei pra mim, pro meu passado, e vi, que me segurando numa falsa esperança nesse tal destino, eu deixei de fazer escolhas, deixei de fazer por mim, com a explicação cabalística de que assim seria se o destino o quisesse.
Acho que o destino veste bem aos adolescentes, não mais a mim.
Já passei do ponto de esperar e acreditar que tudo dará certo no final… A vida de gente grande dá certo para os que acordam cedo e trabalham, dá certo pra quem ousa e investe em si. A vida amorosa se resolve quando resolvemos abrir o coração, a mente, correr e assumir riscos. Não dá certo pra quem fica na mesmice, para quem fica esperando a intervenção divina do destino.
O destino é muito esperto, engana aos bobos. Os bobos ficam esperando a felicidade chegar, enquanto isso,os céticos que nele não acreditam, estão correndo atrás e realizando seus sonhos…
Eu quero realizar sonhos. Nunca tive muitos, pois sempre achei que a vida estava para ser vivida, não para ser um problema a ser resolvido. Mas cansei. Acordei. Quero Sim sucesso no meu trabalho, faço questão de fazer o melhor, quero sim minha família junta e feliz, e quero (pasmem) um amor pra vida toda.
Mas amor, amor não resolve depressão. Amor não mata fome, amor não compra casa. E se for um amor mal assumido, ele embola o meio de campo e tudo vira um atrapalho. Quero um amor maduro. Quero um amor que me ame de verdade, quero um amor que ame meu humor, e entenda meu péssimo humor quando estou com sono.
Quero um amor que me escreva um bilhete, ou que faça com a ponta dos pés na areia, as letras de nossos nomes. Esse amor tem que me deixar amar. Esse amor tem que nos cuidar. Quero ser mulher. Sempre fui o Tonhão. Não quero mais. Agora uso salto e maquiagem, não quero mais arrumar a elétrica da casa e trocar o pneu do meu carro.
Destino, pode trazer tudo isso pra mim?????
Não. já tem gente demais esperando por ele…. Só tenho uma escolha: Fazer pelo meu trabalho, e mudar pelo meu amor. Fácil? Não. Mas o que seria da vida sem desafios? Seria uma espera. Uma espera pelo tal destino, mas estou quase de aniversario, e o relógio não permite esperar

Nenhum comentário:

Postar um comentário